Dra. Sarah Campos: A inserÁ„o da mulher na polŪtica ainda tem muitos desafios pela frente (Matťria da CSB Brasil)

 



‚ÄúA inser√ß√£o da mulher na pol√≠tica ainda tem muitos desafios pela frente‚ÄĚ, afirma Sarah Campos





Consultora jur√≠dica apontou n√ļmeros que mostram que a presen√ßa feminina no Congresso est√° aqu√©m do m√≠nimo necess√°rio




 A participação da mulher no cenário político nacional foi o destaque da palestra da advogada Sarah Campos durante o Encontro Nacional da Mulher Trabalhadora da CSB. Segundo a consultora jurídica, a presença das mulheres no parlamento brasileiro ainda é muito pequena.


‚ÄúMesmo tendo alcan√ßado 30% de candidatas, as mulheres continuam representando apenas aproximadamente 10% dos eleitos no Poder Legislativo‚ÄĚ, explicou. Segundo Sarah, em 2014, constatou-se 9,9% de mulheres na C√Ęmara dos Deputados e 16% no Senado.



Sarah Campos apresentou n√ļmeros da participa√ß√£o das mulheres nos parlamentos latino-americanos. Dados da Inter-Parliamentary Union (IPU), em 2015, apontam que a Am√©rica Latina era a segunda regi√£o do mundo em raz√£o da maior m√©dia de representatividade parlamentar feminina (26,6%), atr√°s apenas dos pa√≠ses n√≥rdicos (m√©dia de 41,5%).


Bol√≠via e Cuba ocupam a segunda e a terceira coloca√ß√Ķes mundiais, com 53,1% e 48,9% de mulheres no parlamento, respectivamente. Entretanto, as disparidades evidenciam que o problema est√° longe de uma solu√ß√£o.


‚ÄúO Haiti est√° na √ļltima coloca√ß√£o por n√£o contar com nenhuma representante do sexo feminino. O pr√≥ximo pa√≠s com menor percentual, puxando a m√©dia da regi√£o para baixo, √© o Brasil‚ÄĚ, revelou a advogada.


A divis√£o sexual do trabalho √© apontada pela consultora como um importante agravante deste quadro. ‚ÄúEssa quest√£o, que sobrecarrega as mulheres com os afazeres dom√©sticos, funciona tamb√©m como um dos principais obst√°culos √† participa√ß√£o das mulheres na pol√≠tica‚ÄĚ, criticou Sarah. Segundo ela, ‚Äúa responsabiliza√ß√£o desigual pelas tarefas dom√©sticas, que ocasiona restri√ß√Ķes no acesso a tempo, impacta sobre a atua√ß√£o das mulheres no mercado de trabalho e, consequentemente, no seu acesso √† renda‚ÄĚ.


‚ÄúIsso resulta em uma menor disponibilidade das mulheres √† dedica√ß√£o que √© necess√°ria tanto para uma campanha pol√≠tica quanto para o exerc√≠cio ativo de um mandato, o que tamb√©m resulta na diminui√ß√£o das possibilidades de constru√ß√£o de uma carreira pol√≠tica e menor acesso a movimentos e espa√ßos de organiza√ß√£o coletiva‚ÄĚ, completou.



Desafios


Para Sarah Campos, a reestruturação da sociedade, e não apenas as leis eleitorais, é o fator preponderante na maior participação política da mulher.


‚ÄúFaz-se necess√°rio um compromisso da sociedade e do Estado com a causa, mediante a ado√ß√£o de a√ß√Ķes afirmativas que reconhe√ßam as condi√ß√Ķes de partidas desiguais entre homens e mulheres e criem certas vantagens compensat√≥rias da discrimina√ß√£o e exclus√£o estruturais historicamente impostas √†s mulheres‚ÄĚ, pontuou a consultora sobre a necessidade de pol√≠ticas p√ļblicas como est√≠mulo para a mudan√ßa do atual cen√°rio.


A mudança cultural da sociedade, em que os homens também assumam a divisão de tarefas domésticas e de criação dos filhos, é importante, na visão da palestrante, para que a mulher tenha condição mais efetiva de igualdade e também possa participar dos eventos sociais e políticos.


Segundo a consultora, uma proposi√ß√£o poss√≠vel dentro do movimento sindical √© ‚Äúinserir o tema da participa√ß√£o da mulher nas elei√ß√Ķes sindicais, com ado√ß√£o inclusive da reforma dos estatutos dos sindicatos, federa√ß√Ķes, confedera√ß√Ķes e centrais‚ÄĚ.


‚Äú√Č essencial pensar tamb√©m em novas estrat√©gias de organiza√ß√£o e fomento dos movimentos pelos direitos das mulheres no Brasil, assegurando-lhes maior poder de press√£o sobre os √≥rg√£os decis√≥rios‚ÄĚ, refor√ßou Sarah. ‚ÄúUma forte organiza√ß√£o feminina e mobiliza√ß√£o social s√£o importantes potencializadores de mudan√ßas. N√≥s precisamos ocupar o nosso espa√ßo‚ÄĚ, emendou.


Veja a apresentação de Sarah Campos








Obs.: Dra. Sarah Campos √© Assessora e Consultora Jur√≠dica do SINDIFAZCRE-PR/ASSEFACRE¬†e atua tamb√©m como Assessora e Consultora Jur√≠dica da FEBRAFISCO Federa√ß√£o Brasileira de Sindicatos das Carreiras da Administra√ß√£o Tribut√°ria da Uni√£o, Estados e Distrito Federal, atuando tamb√©m como Assessora e Consultora Jur√≠dica de Diversos Sindicatos Filiados a FEBRAFISCO e outros Sindicatos representantes de Servidores P√ļblicos em Minas Gerais.

 

Tem trabalhado diretamente com a Diretoria do SINDIFAZCRE-PR., na labora√ß√£o de estudo, pareceres e minutas de lei org√Ęnica da Carreira/Cargo de Agente Fazend√°rio Estadual-AFE da Secretaria de Fazenda e Receita Estadual do paran√°.

 



Outras atua√ß√Ķes:




Membro da Comiss√£o Especial de Direito Administrativo do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil
Membro da Comiss√£o Especial de Direito Sindical da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Minas Gerais OAB/MG
Coordenadora do Departamento Jurídico do SINFFAZFISCO Sindicato dos Servidores da Tributação, Fiscalização e Arrecadação do Estado de Minas Gerais
Coordenadora Discente do PRUNART/UFMG Programa Universit√°rio de Apoio √†s Rela√ß√Ķes de Trabalho e √† Administra√ß√£o da Justi√ßa da UFMG


 

Formação Acadêmica:



Doutoranda Em Diretito na área de Estuto Ciências Jurídico-Políticas pela Universidade de Coimbra/Portugal
Mestre em Direito Administrativo pela Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG
Pesquisadora PIBIC/CNPQ, Direito Administrativo e Direito Coletivo do Trabalho  pela UFMG
Pós-Graduada em Justiça Administrativa e Fiscal pela Universidade de Coimbra/Portugal
Graduada em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG





Para mais informa√ß√Ķes consulte:¬†www.linkedin.com/in/sarah-campos-8492ba26/

 


Voltar
SINDIFAZCRE PR REGISTRO SINDICAL OBTIDO através do processo MTE 46000020980/200408
concedido por despacho publicado no D.O.U em 16/06/2009, sessão I, pág. 36
© Copyright 2004 - 2017 Sindifazcre-PR todos os direitos reservados